quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Poema "Quem Somos"

Quem Somos


Somos asas,
Que voam para o céu…
De alma no peito
E coração nas mãos.

Sabendo apenas que vamos…
Que em imaginadas asas voamos.
Procurando aquele ilusivo lugar de onde partimos,
Algures no zénite do nosso ponto de chegada.

Foi-nos permitido viver no ontem,
Com um olhar pensativo no amanhã…
Tendo sido todavia nos sonhos do agora
Que a nossa esperança nunca se tornou vã.

Tornámo-nos aquele grito de confiança...
Ou pelo menos o punho erguido da perseverança.

Hoje respiramos à superfície da brisa matinal,
Que dá voz à fragrância da saudade…
Moramos no fugaz quebrar das ondas da maré
Ao ritmo do eterno fado que nos assiste.

Talvez tenha sido nossa a eternidade, para partilhar…
Um momento contido em nós, de certo tempo ou um lugar.


- Paulo de Sousa Alcoforado (2008)

2 comentários:

Vera disse...

Gostei muito do teu poema.
Chega a ser quase revolucionário:

"Tornámo-nos aquele grito de confiança...
Ou pelo menos o punho erguido da perseverança."

E tem muito amor!

"Talvez tenha sido nossa a eternidade, para partilhar…
Um momento contido em nós, de certo tempo ou um lugar."

Lindo Paulinho :)

Beijo grande

Vera

JaCk disse...

Greetings from Italy :D